terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Fecho os olhos sinto
As paredes do meu quarto
Sinto seu cansaço
Sinto sua respiração
Não diga que fui eu que voei
De colchão em colchão chego a conclusão
Meu lar é no chão.
Ana era linda. Tinha os olhos saltados e a boca rasgada como uma fenda.
Mesmo pequena ocupava todos os espaços. Ela era linda e triste. Profundamente triste apesar da alegria rubra. Ela era grande. Grande como são as estrelas. E até podia ser feia. E era. Ela era linda e tão linda que um dia caiu de bruços e um brutamontes lhe comeu o cu.
la vie en close
c'est une autre chose
c'est lui
c'est moi
c'est ça
c'est la vie des choses
qui n'ont pas
un autre choix
pensamento chão é poema que nasce no pé
poema de pé no chão é poema de gente normal
La lamentation de la solitude de cette nuit
c'est comme dimanche

domingo, 20 de dezembro de 2009

Sempre que chove
Tudo faz tanto tempo...
Equalquer poema que acaso eu escreva
Vem sempre datado de 1779!
Eu estava dormindo e me acordaram
E me encontrei, assim, num mundo estranho e louco
E quando eu começava a compreendê-lo
Um pouco
Já eram horas de dormir de novo!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

100 receitas de arroz

arroz com alho
arroz com cenoura
arroz com brocolis
arroz com lentilha
arroz com arroz
arroz com garfo e faca

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Eu não tenho frescor de quem se banha em mar
mas venha que eu posso te deixar mais leve.
você pode até gritaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaar
amanhã?
eu acho que vou duvidar
você podia parar de uma vez em mim.
À você agora dispo
só a barra do meu vestido
As vezes corro para muros.
Subo.
Mas, só pra ver do outro lado
Fecho os olhos e vejo um fantasma
É a felicidade sussurrando no meu ouvido

domingo, 22 de novembro de 2009

Todo dia fico louca de saudade
Todo dia pergunto
qual é o limite da felicidade

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Todos os dias tomo café da manhã,
tomo banho,
escovo os dentes,
almoço,
lancho,
crio,
leio,
escrevo,
amo.
Não há do que lamentar quando finda o dia.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

No teu colo
calo
caio
creio
como
canto
conto
quanto
tempo
tenho
ainda
Fazia tempo que eu não te via
que eu não escrevia
que eu não lia
fazia tempo que eu não sentia
essa alegria
a anestesia
fazia tempo que eu não sorria
o mesmo tempo que eu não te via

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

na ausência

como de costume

convivo com a fome

com a sede

mas que graça teria

se não doesse

sábado, 31 de outubro de 2009



Para chamar o sol
chamar o vento
chamar o beijo
E levar a saudade
o cheiro de cabelo sujo
o gosto de corrimão na boca

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Dez degraus rolados
Duas pernas roxas em oito círculos imperfeitos
Cinco horas de tarde de chuva
A preguiça
Referências impressas
Dobradas
e cuidadosamente guardadas naquela caixinha em cima do guarda-roupa
Pára de chover que precisamos ir à praia

terça-feira, 13 de outubro de 2009

chuva ruim,chuva ruim, tanto molha até que enxarca
chuva ruim, chuva ruim, nao me molhe assim
chuva ruim, por favor, vc está me afogando
chuva, ó chuva, socorro, chuva
choveu

choveu tanto que agora sobra o seco
seco que nenhuma outra chuva é capaz de umedecer
seco fechado, seco seco, seco rachado
seco em frestas,buracos
seco armadura de metal- arma dura meu pau

mas agora chove no seco
chove até que fura
furou
bendita chuva

domingo, 11 de outubro de 2009

Você sorri movendo quase nada
E antecipa a velha e a longa estrada
E os teus galhos vão me arborizando nu
Ainda teimo que eu não sou pra isso
Seus olhos gostam de correr o risco
E querem estar só comigo

Vanguart

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Largo dos Cisnes
Você dança feito bailarina(e como dança!! )
Dança no meu olho.

meu olhinho virou palco, bem molhado, ou prestes a se molhar
dança, minha bailarina! dança e persista em minha criança!

Só cuidado pra não escorregar!!


Bom, mas se escorregar, não caia de bunda no ato
Dá um beijinho aqui, dá
Sou palco
e também chão.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Voragem nervosa
procura o meu corpo
que já não está aqui.

Minha boca bordada
costura silêncios,
nomes que me esqueci

Para só lembrar do meu
Para só lembrar do seu

Rosto amordaçado,
torto e calado
que se reflete ali.

Alma malsinada,
o tempo,
não tem calma:

Faz esquecer de mim
Para esquecer de deus.

Por: Carlos Roberto Venturim

domingo, 20 de setembro de 2009

você está aí
controlando o carrossel
que me faz girar, girar
e meu coração disparar

tudo em volta se desfaz
o mel se faz féu
você se diz sempre capaz
de manipular meu carrossel.

sábado, 19 de setembro de 2009

você está ali
do lado de fora do carrossel
me vendo girar, girar e girar

domingo, 13 de setembro de 2009

Palavras que me esvaziam a cada gole
E você aí tentando me embebedar
Tá difícil ver a sua situação patética?
Prosa tendenciosa
Esvaziando o meu tesão.
Eu tô aqui
E tá frio
Guardaram o meu edredom
Cadê você?
Não se preocupe
Besta é pensar que o quê é nosso é fraco
Maleabilidade não é fraqueza, é delicadeza no gingado
É o amor assumindo todas as possibilidades
Somos você e eu em sintonia
Em vontades que dialogam entre si e se encaixam

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Sofro.
Sofro!?
Sofro porque não vejo,
porque não sinto,
porque não sei,
porque não imagino,
porque não lembro.
Sofro por não sofrer.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

distraidas pegamos um onibus
distraidas flertamos o céu
distraidas ficamos gripadas
distraidas choramos escondidas
distraidas lemos um livro
distraidas sentimos saudades
distraidas damos nossos corpos
distraidas imploramos melhoras
distraidas recitamos nossas poesias
distraidas cortamos as unhas
distraidas nos abraçamos amigas
distraidas comemoramos aniversários
distraidas enchemos os copos
distraidas olhamos o mar
distraidas pensamos pensamos na vida
distraidas nos apaixonamos
distraidamente distraidas

domingo, 30 de agosto de 2009

amor das entrelinhas

Nos amamos. Nos tocamos. Nos vivenciamos. Dia a dia. Cada pedaço de circunstancia e de troca é sentido no particular. Um íntimo extremamente particular, invisível e imperceptível na íntegra por qualquer outro que seja. Ou por quem se queira compartilhar com.
Histórias existem para serem interpretadas e sentidas, de certa forma. As histórias são feitas por íntimos particulares, que existem, persistem e se expõem na tentativa de serem um pouco, pelo menos, captáveis por outros íntimos. As histórias podem emocionar, e na maioria das vezes são feitas para tal, porém, o que existe de mais belo, particular e compartilhável é o silêncio das entrelinhas. O infinito silêncio que nos faz sentirmos tão íntimos e sensíveis.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

ensebada,
cabelo bagunçado,
suada,
roupa mulamba,
pé sujo
e calcinha furada.
como se tivesse sido deixada.
por que?

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Hoje já é quarta-feira
Passaram-se os dois dias
Vêm outros dois
What is the most beautiful word in english?
LOVE

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

amígolas,

amo vocês.


aqui me abro
me jorro, me jogo, jocosa, do jeito que for
transparente
mesmo que incompreensível
ou até que ponto compreensível?
minhas palavras me mostram
vcs sentem
me veem
as únicas que, de fato, aqui me veem
sempre
é muito bom se abrir, jorrar, sem se preocupar
maravilhoso é poder se entregar.
e se eu me cansar?
e se eu já me cansei?
e se tudo que for doce demais amargo me ficar?
amargos amores prazeres instantâneos guardo numa caixa dentro do meu guarda-roupa

e se?
e se existir dúvida?
e se ainda existir dívida ativa na pele e nos órgãos sexuais tremelique na barriga bexiga quero mijar

e se dúvida for arrependimento?

cuidado,
o meu amor é universal banal carnal de puta de todos intenso SÓ
me ame me beije me lamba me coma me deite no colo
mas nao se vicie em me mimar
o muito doce é amargo demais.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

video

domingo, 9 de agosto de 2009

livre iniciativa pra te fazer feliz
e correr de mãos dadas com você por ai
a sâmya dança na sala vazia
enquanto ela mesma toca piano
a sâmya dorme na cama sozinha
enquanto ela mesma conta uma historinha
a sâmya sonha na noite vazia
enquanto ela mesma desenha as nuvens no céu

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

quero algo que se fixe em mim
sentimentos líquidos transbordam
todos começam, mas nem todos tem fim.

a gente sempre tem que lutar contra nossos pensamentos.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

É maravilhoso poder fugir da gaiola
e cagar pra as merdas que infestam a nossa casa.

socando olheiras

Aperte as minhas orelhas
não deixe que eu escute nada
cuidado com as minhas olheiras!!
não as aperte
elas doem e, cheias de amarguras, choram e gritam
e se socando ficam roxas
cuide delas
não as machuque
finja para si e para os outros
que tudo está em equilíbrio
e tampe os meus ouvidos
que eu finjo que não vos escuto.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...
Ou toca, ou não toca.
o amor e sua exaustão
o amor dá exaustão

segunda-feira, 27 de julho de 2009

bom e mau
somos todos
na medida do possível
e impossível
na imaginação
e no mundo
dos outros
a viagem dura 48 horas
nas quais poderei...
cochilar, enjoar, tagarelar, embriagar, saudadar, melancolizar, divagar, bradadar, dadadar, cracracar, nadadar, blablablar ou simplesmente pensar na vida

terça-feira, 21 de julho de 2009

sem fim é o meu círculo doloroso
pedindo socorro.
* amigo, por que sinto a tua falta?
até quando estás comigo?
me deixa ficar quieta, por favor.
não suporto escutar essas vozes
que todas vão embora
elas me enlouquecem
eu grito
mas ninguém vem
ninguém vai me proteger
super heróis são mentiras
de certo, anestésicas, um tanto maldosas.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Tudo dito
Nada feito
FiTo e DeItO
Vamos desdar as mãos
Contar até três
E esperar para ver quem dá o tiro da vez
Haja hoje para tanto ontem
Haja amanhã para tanta lista
Nuvens brancas
passam
em brancas nuvens

quarta-feira, 15 de julho de 2009

que se foda - disse ela.
e se fodeu toda.

Leminski
por Isis

terça-feira, 14 de julho de 2009

Essa verruga
hora ou outra
renasce
bem aqui
na ponta do nariz
Ê mania besta de deixar de ser feliz.
Pensando ela ter navegado
e descoberto certa ilha
pisou na areia
que era movediça

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Frio. Gelado.
Como um iceberg todo pra fora do mar,
É você assim saindo do meu peito.
Estático.
Como pode alguém ser de pedra?
Insosso.

Tenra linha que não se pode ultrapassar
Ela é sutil,
Ela é fingidora
Das emoções.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

te toco torta
toda troça

quarta-feira, 1 de julho de 2009

toda torta toca um toco
um troço que torce
tudo que a toca
tocando
e se contorcendo toda
se toca ela toda

domingo, 28 de junho de 2009

o que eu mais gosto de saber, por hoje
é que eu tinha
e continuo tendo razão
a verdade
falsa
verdadeira
aparente
medrosa
bem ritual
me inspira do jeito que quero
que permito
e que gosto
mesmo que o gosto não seja gostoso.

.a semelhança entre amigos e paixões é que
ambos vêm e vão
"entre as idas e vindas
do meu coração".
esse poema de agora
quero saia
na maracangalha
e que esse teto caia
no meu tomara-que-caia.

haicaia?
queria ser um bem-te-vi
pra voar até seu ouvido
e dizer
meu bem,
me apaixonei
desde a primeira vez
que
te vi
te vi
te vi.

(autora conhecida)
viver é:
aprender a lidar com as perdas
e os passados
e os amores
e com todas as nossas dores
de viver.


ps: Hoje não vou assinar.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

estrelinha
estrelinha
a Carolina
é uma babaquinha
chuva e lama nos dedos dos pés
me protejo na marquise
enquanto te vejo passar a minha procura
I love butterfly
principalmente quando cai
Na
ponta
do


Meus cabelos ao seu alcance
Meu alcance aos teus cabelos

terça-feira, 23 de junho de 2009

hein, tô doida pra te comer.
que tal?
nhacnhac
ahkdguewtdfsauyftwyahtdfkexfdgskjgcju
putz, tu é gostoso.
pena que não deixou de ser bobo
bobobobbobaaabei.

domingo, 21 de junho de 2009

Franca,
nosso romance não poderia ter durado até o 3º semestre da faculdade
eu, leonino
vc , puta.
Minha saudade
vai até você
e te dá um beijo.

E por falar em você,
ai que saudade.
Ameixas. Amo-as.


_Ísis
Patricia,
nosso romance não poderia mesmo ter durado um ano.
Ela era de escorpião, eu leminskiano.
salve-me quem puder
salvem essa mulher
salve e coma de colher
salve, aleluia, quem quer?

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Layout
Lei Áurea
Lei totally out
outista.
Ela MInistra
Ela MImostra
Ela SInistra
os fios da íris da Ísis
são da cor do Arco-Ísis
Nas lacunas do meu coração
Encontrei um peixinho
Spyro Gira
Espirro e giro

terça-feira, 16 de junho de 2009

sono no ônibus
sacolejos pra todos os lados
mal consigo equilibrar esta lapiseira pra escrever este texto
mal fico acordada pra equilibrar a lapiseira
o corpo
estou a cara do sono
o ônibus sacoleja
as pessoas estão sérias demais
elas morrem de sono
estamos todos sacolejando
de sono.
nós estamos a cara do sono
o ônibus é a cara do sono.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Sem saudade de você
Sem saudade de mim
O passado passou enfim

quinta-feira, 4 de junho de 2009

o pauloleminsk
é um cachorro louco
que deve ser morto
a pau e pedra
a fogo a pique
senão é bem capaz
o filhodaputa
de fazer chover
em nosso piquenique

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Sinto uma canseira infinita. Infinito é aquilo que não conseguimos delimitar, apesar de limitado. Suporto o que posso e o que não posso- eu não posso algo?-, o que consigo, fazendo enorme esforço e sabendo que estou à beira de um desabafo descomunal. Choro amargo e seco- secas as minhas lágrimas. Choro loucuras por dentro e isso está me causando refluxos descontínuos. Há uns minutos, senti inveja e raiva, muita raiva. Indignação com a facilidade de alguns; imbecis. Senti logo uma estranheza conformista, uma compreensão sensível a mudanças alheias. Mudanças que podem ser verdadeiras, realmente sensíveis a. Nós somos todos uns imbecis. E nos condenamos, e nos enganamos, e enganamos, e nos paparicamos. Sempre mudamos.Nós somos(imbecis?).Sentir é o nosso eterno dilema( problema).

segunda-feira, 1 de junho de 2009

busco vestígios de você
vertigem
é o máximo que consigo
transa de novo comigo?
nada calculado
só sensação
e dedos
e calafrios
último gole
do meu veneno.
O céu de junho
nós dois juntos
deitados na grama
olhando o céu.
O céu de juntos
amar nos cosmos
dois juntos corpos
amar o céu.

Corpologia cósmica.

Isis
video

domingo, 31 de maio de 2009

Esquenta o coração refeito
espero poder te tocar
o que havia entre nós dois foi
tiroteio e espinho canção
eu cederia aos teus pecados
se acaso quisesse chorar

E escreveria os mesmos passos
só me salvo com a arma na mão
Pesa mais que um hemisfério
é usar o teu vestido
te trazer pra perto
bordar as tuas iniciais
no cais dos meus braços

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Você
pelada em nossa frente
rosa, vermelha latente
sorri com todos os dentes
pra controlar, disfarçar a emoção (tentar)
vergonha, adrenalina pura
sorriso aflito que faz desdém a
sua falta de controle.
estar aqui
e querer
e ter que abrir a boca
essa é a graça( desgraça)
da Arte de falar em público.
A cada espanto
eram lágrimas
a cada lágrima
entendimento
por que chover?
ajuda a desabrochar para a vida
agora lágrimas não são mais precisas
[não sempre]
Olhe, tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras.
Sou irritável e firo facilmente.
Também sou muito calmo e perdôo logo.
Não esqueço nunca.
Mas há poucas coisas de que eu me lembre.

terça-feira, 26 de maio de 2009

ao fotografo do 2x1 (...)
meu coração
alecera
aclecera
arecela
acelera
quando te vejo.

Isis
Quando digo pouco
digo muito
[ou] digo nada

Quando digo tudo
eu minto
sim
totalidades, pra mim
não existem

mas quando digo nada
não
pense que você não sabe de nada.
Todo mundo tem um poema de cabeceira pra tentar se comunicar com o mundo em momentos sensíveis( difíceis?).
mesmo
na idade
de virar eu mesmo

ainda
confundo
felicidade
com este
nervosismo

domingo, 24 de maio de 2009

Alegria que transborda
de um felizesparasempre,
amém.

Isis
Quem sou eu?
Já não importa
Nem nunca importou
Que importa é o que te quebra em duas cidades
Que importa é o que te deixa tão transfuso
O que é a dor? Eu não entendo
Mas sinto apertar de leve o meu peito
Nas madrugadas quando estou a navegar
Faz quarenta dias que eu estou no meu barco a vela...

sexta-feira, 22 de maio de 2009

O que eu sinto eu não ajo.
O que ajo não penso.
O que penso não sinto.
Do que sei sou ignorante.
Do que sinto não ignoro.
Não me entendo e ajo como se entendesse.
Telepático.
Não,
ciberprático
nada apático
você aí
eu aqui
fui, cê veio?
estamos in.
olha os ruídos
Que importa?
somos dois
e a distância
Que importa?

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Da série "o que não devemos fazer quando estamos tristes e andando de ônibus":
- colocar a cabeça pra fora, fechar os olhos e sentir o vento levar o amor que se resguarda na tristeza.
Da série "o que não devemos fazer quando estamos tristes":
- andar de ônibus
E o tempo levou o amor
Ou será que foi o vento?
sem ideia
posto merda.
Imenso mar
Imerso
na imensidão
estou.